Apresentação de slides das 25 torneiras de cerveja mais malucas do mundo



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Essas obras de arte espetaculares realmente se destacam da multidão

Os 25 cabos de torneira de cerveja mais malucos do mundo

Já aconteceu tantas vezes: Você se debruça sobre o bar, com a intenção de pedir um litro de sua lager ou stout stand-by, quando de repente algo chama sua atenção entre as torneiras de cerveja. É um gnomo de jardim espiando debaixo de uma pilha de panquecas? E espere - é uma abóbora maníaca de bigode perto dele ?!

Nós somos otários por manivelas de torneiras de cerveja malucas e incomuns. Uma torneira criativa é quase mágica e pode obrigá-lo a pedir algo novo ou diferente que você normalmente não solicitaria.

Os puxadores de torneiras de cerveja tornaram-se uma forma de arte; eles são uma maneira dos fabricantes de cerveja apresentarem o verdadeiro espírito de suas cervejas antes mesmo de você tomar um gole. Eles vêm em todas as formas, materiais e cores concebíveis, e têm se tornado cada vez mais estranhos nas últimas décadas.

Recentemente, decidimos ver quantas alças de torneira exclusivas poderíamos rastrear. Talvez impraticáveis, mas certamente espetaculares, essas peças de arte realmente se destacam da multidão. Como disse Benjamin Franklin: “Não pode haver uma boa vida onde não há uma boa bebida”. Essas alças de torneiras de cerveja inventivas certamente o levarão na direção certa.

3 Sheeps Brewing Company, Sheboygan, Wis.

Esta cervejaria já foi o local de uma fábrica de meias Wigwam. Eles gostam de fazer cervejas que ninguém mais faz (olá, pimenta fantasma), e suas torneiras de cerveja seguem o exemplo. O tatuador local Steve Bossler esculpiu as icônicas alças das torneiras. Fique de olho nas criaturas brancas fofas sentadas nos ombros umas das outras, se você quiser levar "três ovelhas ao vento".

Alaskan Brewing Company, Juneau, Alasca

Todas as coisas do norte estão representadas nas torneiras do Alasca, incluindo barcos de pesca, ursos polares, snowboarders e águias americanas. Dê uma olhada neste cetáceo dentuço e não se confunda com o que ele está dizendo para você fazer: peça uma Alaskan Summer Ale. E se você está procurando algo real, confira estes melhores destinos para observação de baleias em todo o mundo. Só não se esqueça de levar uma cerveja.

Beavertown Brewery, Londres, Inglaterra

Mergulhe na suculenta e tropical Gamma Ray Pale Ale desta cervejaria inglesa, simplesmente procurando o esqueleto dos astronautas atirando lasers enquanto sob ataque de OVNIs em Marte. Mas quem não estaria de olho em tal coisa, afinal?

Blue Island Oyster Bar, Denver, Colorado

Vá até o bar e peça um litro da seleção rotativa de cervejas que flui de uma dessas resistentes lulas de bronze. As alças da torneira são feitas para o Blue Island Oyster Bar pelo escultor Ron Lee, e servem cervejas fabricadas especificamente para o bar pela empresa irmã Boulder Beer. Não são apenas as alças da torneira, mas toda a barra que faz você se sentir como se estivesse no fundo do mar.

Brewery Ommegang, Cooperstown, N.Y.

Esta cervejaria de estilo belga se uniu à HBO para criar uma série limitada de cervejas Game of Thrones, coincidindo com cada nova temporada do programa de sucesso. Uma cerveja especial merece uma torneira especial, e cada uma dessas alças apresenta cinco espadas entalhadas, que representam as cinco casas que lutam pelo trono de Westeros. Como se costuma dizer em alto valiriano, “Valar dohaeris,” ou: Todos os homens (e mulheres) devem servir… outra cerveja. Com fome de torta de rim ou coração de garanhão? Confira os melhores momentos gastronômicos de Game of Thrones.

Charles Wells, Bedford, Inglaterra

Este cara corpulento e tatuado e sua barba selvagem assistem com um olhar perspicaz sobre a multidão do bar enquanto o Triple Hopped IPA de Charlie Wells flui deste torneira maluca. A cerveja é feita com três tipos de lúpulo, um dos quais é Goldings, o lúpulo britânico original com o qual os IPAs ingleses eram produzidos nos anos 1800. Você sabia que o lúpulo é realmente bom para você? Aqui estão nove outras razões médicas para beber mais cerveja.

Dirty Robot Brew Works, São Francisco, Califórnia.

Um dos mestres cervejeiros do Dirty Robot tem doutorado em robótica, então não é nenhuma surpresa que a) robôs (incluindo um chamado Annabelle) estejam envolvidos no processo de fermentação, e b) os punhos das torneiras do Dirty Robot apresentam mãos de robôs gigantes.

Cervejaria Dogfish Head, Milton, Del.

Dogfish Head realmente flexionou seus músculos criativos com esta torneira Steampunk 2010 mega-rara e de edição limitada. É um emaranhado brilhante de engrenagens e engrenagens de metal, e seu design steam-punk é baseado em uma casa na árvore localizada nos fundos da cervejaria. É perfeito para servir "cerveja analógica para a era digital".

Goose Island Beer Company, Chicago, Illinois.

“Chame” esta cerveja quando você tiver um vislumbre da torneira 312 Urban Wheat Ale do outro lado do bar. Esta cerveja crocante e frutada é inspirada na cidade de Chicago, lar do código de área do telefone 312. Se por acaso você estiver no 312, dê uma olhada no Boxville, o primeiro shopping center de Chicago construído inteiramente com contêineres.

Living the Dream Brewing, Littleton, Colorado.

Esta cervejaria que aceita cães tem uma atmosfera definitiva de cidade de esqui, e até mesmo as torneiras são feitas de bastões de esqui. Para citar diretamente: “Nossas torneiras são descendentes diretas de Hot Dog ... The Movie.” Mantenha suas dicas.

Lost Coast Brewing Company, Eureka, Califórnia.

Agora você pode comprar cerveja Lost Coast em latas, mas tirar um litro de uma dessas torneiras coloridas exageradas já é metade da diversão. O tubarão grande branco IPA dentuço e o Arghh! O papagaio bêbado de Pale Ale parece meio-primo trippy de algumas das figuras nas pinturas de Picasso.

Magic Hat Brewing Company, South Burlington, Vt.

Single Chair Pilsner foi fabricado em homenagem a um dos últimos dois teleféricos de esqui de cadeira única em operação nos Estados Unidos, localizado em Mad River Glen, no norte de Vermont. Esta torneira única reflete perfeitamente o espírito independente tanto da cerveja quanto da comunidade de esqui de Mad River. Um longo dia nas pistas? Confira esses salgadinhos fartos depois do esqui para fazer em casa.

Cerveja North Country, Slippery Rock, Pa.

Desde a inauguração em 2005, a North Country Brewing criou mais de 100 tipos diferentes de cerveja com alças malucas para combinar, como a Slimy Pebble Pilsner. O tema gnomo e elfo corre por toda a cervejaria, com rostos escondidos, um cachorro uivando e outras delícias esculpidas na madeira do bar, nas paredes e nos móveis. O Paleo IPA é a ovelha negra da família North Country, já que esta torneira não exibe criaturas élficas, mas em vez disso, presta homenagem à ocupação anterior do proprietário Bob McCafferty, carregando uma espátula de arqueólogo e um pedaço de pedra polida.

Odin Brewing, Tukwila, Wash.

Glomelynn B./Yelp

Esses autoproclamados entusiastas Viking criaram alças de torneiras impressionantes que são esculpidas para se parecerem com antigos navios vikings, com imponentes figuras de dragão. Assim como o deus Odin, o olho direito de cada dragão não tem pupila, deixando-os cegos, então você não precisa se preocupar com o julgamento ao pedir seu sexto litro. Você já se perguntou o que os vikings comiam? Clique aqui para descobrir.

Pabst Brewing Company, San Antonio, Texas.

Se você está querendo amarrar um, estará em boa companhia com os paquidermes rosa malhados da PBR. Esta torneira é inspirada em uma obra de arte chamada "Pink Elephants Come Home", do PBR National Art Contest anual. Eles realmente ganharam uma fita azul? Aqui estão cinco coisas que você não sabia sobre a Pabst Blue Ribbon.

Palmetto Brewing Company, Charleston, S.C.

Pintadas individualmente em cores brilhantes e psicodélicas por artistas locais, essas altas folhas de palmeira são fáceis de detectar quando você está de barriga para cima no bar. À medida que cada alça inclina para trás, experimente uma das cervejas premiadas da cervejaria mais antiga da Carolina do Sul, que foi inspirada em uma viagem de windsurf. O lema da cervejaria diz tudo: “Nossa cerveja não se importa se você usa jeans skinny. Ou até calças. ”

Paloma Rocket, New York, N.Y.

Wilkie J./Yelp

As alças de toque da Paloma Rocket são tão exclusivas porque são, bem, não exatamente apenas torneiras ... são telas de computador. Esta cervejaria self-service no Lower East Side de Nova York oferece seleções rotativas vendidas por onça, como Donut Stout Burial Skillet e El Gose da Avery Brewing Company. As cervejas variam atualmente de 51 a 86 centavos de dólar por onça. Essas são provavelmente as únicas alças de torneiras de cerveja que permitem a passagem do cartão de crédito e não requerem absolutamente nenhuma interação humana.

Raven Brewing Company, Baltimore, Md.

Procure essas torneiras macabras “era uma vez uma meia-noite sombria”, da cervejaria artesanal inspirada em Edgar Allan Poe. Cada um deles apresenta uma escultura de Poe em cima de uma cópia de uma de suas obras clássicas, incluindo The Raven e Annabel Lee. Essas alças de tiragem limitada foram feitas pela escultora Danielle Craven-Slaski e ganharam uma medalha de ouro nos prêmios 2014 Tastings Tap Handle. Gosta de coisas assustadoras? Nós somos também. Confira os dez lugares mais assombrados do mundo.

Redhook Brewery, Woodinville, Wash.

Os barmen vão querer derramar o False Start Session IPA suavemente, pois a alça é uma buzina a ar real e operacional. Originalmente fabricado para os fãs de futebol de Seattle, a buzina de ar celebra “aqueles fãs que trazem o barulho em todos os jogos”, de acordo com FreshPints.com.

Redhook Brewery, Woodinville, Wash.

Este controle remoto realista para Game Changer Ale da Redhook foi feito em colaboração com Buffalo Wild Wings, um restaurante e bar de esportes conhecido não apenas por asas quentes, mas por eventos esportivos e noites de curiosidades. Uma vez que tem apenas um ABV de 4,6%, os fãs podem “permanecer no jogo durante todo o jogo”. Esta pale ale não é mais produzida, então o identificador da torneira se tornou cada vez mais valioso.

Sapporo USA

Não há como você perder este. Erguendo-se de suas outras alças de torneira está a réplica de uma antiga espada de samurai katana japonesa. Sapporo EUA consultou a Sociedade Cultural Japonesa para projetar o cabo, que apresenta caracteres japoneses gravados em sua lâmina polida (os caracteres se traduzem como "Cerveja Sapporo" em japonês). Sapporo USA observa que "o cabo em forma de katana foi escolhido porque representava fielmente a marca Sapporo - um objeto repleto de tradição com polimento e precisão que poderia representar a cerveja lager nítida da marca."

Saranac Brewery, Utica, N.Y.

As alças de torneiras de canoa vintage da Saranac são cheias de detalhes e variam ligeiramente na cor e no rótulo, dependendo da bebida específica que cada uma está representando. Você certamente não vai virar (ai!) Depois de experimentar uma das cervejas desta cervejaria de Utica, Nova York, a segunda mais antiga cervejaria familiar do país.

SweetWater Brewing Company, Atlanta, Ga.

O lema da Sweetwater "Não flutue no mainstream" também se estende às suas torneiras exclusivas. A truta arco-íris de boca aberta praticamente implora que você despeje meio litro de sua saborosa bebida e beba como, bem, um peixe. Para ler mais sobre SweetWater e nossas outras opções para as melhores cervejarias artesanais de 2017, clique aqui.

Toolbox Brewing Company, Vista, Califórnia.

Esses caras certamente estavam pensando fora da caixa quando chegou a hora de projetar seus cabos de torneira industriais exclusivos. Uma vibração perceptível de faz-tudo é aparente nessas alças de torneira que são criadas a partir de martelos reciclados, furadores, cabos de serra e várias outras ferramentas.

Trophy Brewing, Raleigh, N.C.

Apenas no Trophy você poderia pedir um litro do jogador de futebol mal-humorado ou do jogador de golfe manchado e eles saberiam o que você quis dizer. Suas torneiras consistem no topo de velhos troféus cujos dias de glória ganharam um novo significado ao derramar a deliciosa Espiral da Morte Dupla e a Pequena Grisette Brave. Louco por cerveja? Confira nossa lista das 50 melhores cervejas do mundo.


O que fazer quando você tiver fezes impactadas

Nunca é um assunto confortável para discutir, mas é bom ter alguma ideia do que tentar se você ou um ente querido tiver fezes endurecidas que não saem por si mesmas.

Em primeiro lugar, é vital lembrar que sempre que você tiver vontade de evacuar, é melhor relaxar em vez de tentar forçar a evacuação com esforço.

O relaxamento consciente é necessário para o funcionamento ideal do músculo esfíncter anal interno, que é um anel de músculo liso que ajuda a manter o esfíncter anal fechado quando você não está evacuando e também ajuda a empurrar as fezes para fora durante a defecação. O músculo do esfíncter anal interno é totalmente involuntário, o que significa que funciona sem a sua intervenção consciente. Ao esforçar-se conscientemente para eliminar as fezes, você pode interromper a atividade natural do músculo esfíncter anal interno.

Isso não quer dizer que você não deva fazer nenhum esforço ao evacuar. Em torno do seu músculo esfíncter anal interno está o seu externo músculo do esfíncter anal, que está sob controle voluntário quando você pressiona, é o músculo que você está usando para gerar impulso para a defecação. Quando as fezes são saudáveis, você não precisa gerar impulso para evacuar, contraindo o músculo do esfíncter anal externo, mas quando as fezes estão mais duras do que deveriam, pode ser útil contrair conscientemente o músculo do esfíncter anal externo para fazer as coisas em movimento. O segredo é parar de contrair conscientemente e relaxar quando as fezes começarem a passar, pois isso permite que o músculo do esfíncter anal interno contribua para a expulsão das fezes.

Ter os pés em cima de um penico ou banquinho agachado para ficar em uma posição semelhante a um agachamento e segurar uma compressa morna ou quente (toalha de mão dobrada funciona bem) em seu esfíncter anal por alguns minutos enquanto nesta posição pode ajudar a ótimo negócio. Seja paciente, relaxe o máximo possível e respire lenta e profundamente, inspirando e expirando.

Com tudo isso dito, se as fezes endurecidas ficarem presas ao sair do esfíncter anal, pode ser útil aplicar um lubrificante natural ao redor do esfíncter. Não é uma coisa glamorosa de se fazer, mas ao longo dos anos, eu realmente tive um punhado de pais usando essa técnica com sucesso para ajudar seus filhos pequenos a passarem fezes duras que estavam firmemente presas no lugar.

Ao usar uma luva descartável, além de lubrificar o esfíncter anal com um lubrificante natural como óleo de coco, também pode ser necessário usar um dedo para remover manualmente pedaços de fezes. Lubrificando generosamente antes de fazer isso, você pode reduzir o risco de criar uma fissura anal.

Esse é um dos poucos motivos pelos quais acho uma boa ideia manter uma caixa de luvas de exame descartáveis ​​por perto. O tipo que mantenho em meu escritório pode ser encontrado aqui:

Quando eu dirigia nosso programa de jejum residencial, às vezes eu precisava desimpactar manualmente as pessoas que estavam gravemente constipadas, já que o jejum prolongado somente com água pode levar ao endurecimento ainda maior das fezes, por isso é sempre melhor tentar evacuar antes embarcar em um longo jejum somente na água. A maioria das pessoas por quem tive que fazer isso sofria de constipação crônica e, geralmente, apresentava enfraquecimento do tônus ​​da musculatura lisa por vários motivos.

A ingestão regular de alimentos altamente processados ​​e refinados - normalmente aqueles feitos com farinha e açúcar - é indiscutivelmente a causa mais comum de constipação crônica.

O esforço regular para tentar forçar as fezes endurecidas invariavelmente leva ao enfraquecimento do tônus ​​do músculo liso na parte inferior do cólon.

E recorrer ao uso regular de enemas costuma ser a etapa final que leva à perda significativa do tônus ​​da musculatura lisa nas regiões anal, retal e do intestino grosso inferior.

A boa notícia é que tenho visto pessoas que dependiam completamente de enemas para que os movimentos intestinais restaurassem a motilidade total. Esse tipo de reversão normalmente não acontece dentro de alguns dias; leva semanas, meses ou às vezes até anos para permitir que os músculos lisos que revestem seu cólon recuperem o tônus ​​ideal, o que requer melhoria no sistema nervoso entérico, uma parte do sistema nervoso autônomo que regula seus movimentos intestinais.

Para obter mais sugestões sobre como ter movimentos intestinais saudáveis ​​e um cólon saudável, sinta-se à vontade para revisar:


O que fazer quando você tiver fezes impactadas

Nunca é um assunto confortável para discutir, mas é bom ter alguma ideia do que tentar se você ou um ente querido tiver fezes endurecidas que não saem por si mesmas.

Em primeiro lugar, é vital lembrar que sempre que você tiver vontade de evacuar, é melhor relaxar em vez de tentar forçar a evacuação com esforço.

O relaxamento consciente é necessário para o funcionamento ideal do músculo esfíncter anal interno, que é um anel de músculo liso que ajuda a manter o esfíncter anal fechado quando você não está evacuando e também ajuda a empurrar as fezes para fora durante a defecação. O músculo do esfíncter anal interno é totalmente involuntário, o que significa que funciona sem a sua intervenção consciente. Ao esforçar-se conscientemente para eliminar as fezes, você pode interromper a atividade natural do músculo esfíncter anal interno.

Isso não quer dizer que você não deva fazer nenhum esforço ao evacuar. Em torno do seu músculo esfíncter anal interno está o seu externo músculo do esfíncter anal, que está sob controle voluntário quando você pressiona, é o músculo que você está usando para gerar impulso para a defecação. Quando as fezes são saudáveis, você não precisa gerar impulso para evacuar, contraindo o músculo do esfíncter anal externo, mas quando as fezes estão mais duras do que deveriam, pode ser útil contrair conscientemente o músculo do esfíncter anal externo para fazer as coisas em movimento. O segredo é parar de contrair conscientemente e relaxar assim que as fezes começarem a passar, pois isso permite que o músculo do esfíncter anal interno contribua para a expulsão das fezes.

Ter os pés em cima de um penico ou banquinho agachado para ficar em uma posição semelhante a um agachamento e segurar uma compressa morna ou quente (toalha de mão dobrada funciona bem) em seu esfíncter anal por alguns minutos enquanto nesta posição pode ajudar a ótimo negócio. Seja paciente, relaxe o máximo possível e respire lenta e profundamente, inspirando e expirando.

Com tudo isso dito, se as fezes endurecidas ficarem presas ao sair do esfíncter anal, pode ser útil aplicar um lubrificante natural ao redor do esfíncter. Não é uma coisa glamorosa de se fazer, mas ao longo dos anos, eu realmente tive um punhado de pais usando essa técnica com sucesso para ajudar seus filhos pequenos a passarem fezes duras que estavam firmemente presas no lugar.

Ao usar uma luva descartável, além de lubrificar o esfíncter anal com um lubrificante natural como óleo de coco, também pode ser necessário usar um dedo para remover manualmente pedaços de fezes. Lubrificando generosamente antes de fazer isso, você pode reduzir o risco de criar uma fissura anal.

Esse é um dos poucos motivos pelos quais acho uma boa ideia manter uma caixa de luvas de exame descartáveis ​​por perto. O tipo que mantenho em meu escritório pode ser encontrado aqui:

Quando eu dirigia nosso programa de jejum residencial, às vezes eu precisava desimpactar manualmente as pessoas que estavam gravemente constipadas, já que o jejum prolongado somente com água pode levar ao endurecimento ainda maior das fezes, por isso é sempre melhor tentar evacuar antes embarcar em um longo jejum somente na água. A maioria das pessoas por quem tive que fazer isso sofria de constipação crônica e, geralmente, apresentava enfraquecimento do tônus ​​da musculatura lisa por vários motivos.

A ingestão regular de alimentos altamente processados ​​e refinados - normalmente aqueles feitos com farinha e açúcar - é indiscutivelmente a causa mais comum de constipação crônica.

O esforço regular para tentar forçar as fezes endurecidas invariavelmente leva ao enfraquecimento do tônus ​​do músculo liso na parte inferior do cólon.

E recorrer ao uso regular de enemas costuma ser a etapa final que leva à perda significativa do tônus ​​da musculatura lisa nas regiões anal, retal e do intestino grosso inferior.

A boa notícia é que tenho visto pessoas que dependiam completamente de enemas para que os movimentos intestinais restaurassem a motilidade total. Esse tipo de reversão normalmente não acontece dentro de alguns dias; leva semanas, meses ou às vezes até anos para permitir que os músculos lisos que revestem seu cólon recuperem o tônus ​​ideal, o que requer melhora no sistema nervoso entérico, uma parte do sistema nervoso autônomo que regula seus movimentos intestinais.

Para obter mais sugestões sobre como ter movimentos intestinais saudáveis ​​e um cólon saudável, sinta-se à vontade para revisar:


O que fazer quando você tiver fezes impactadas

Nunca é um assunto confortável para discutir, mas é bom ter alguma ideia do que tentar se você ou um ente querido alguma vez experimentar fezes endurecidas que não saem por si mesmas.

Em primeiro lugar, é vital lembrar que sempre que você tiver vontade de evacuar, é melhor relaxar em vez de tentar forçar a evacuação com esforço.

O relaxamento consciente é necessário para o funcionamento ideal do músculo esfíncter anal interno, que é um anel de músculo liso que ajuda a manter o esfíncter anal fechado quando você não está evacuando e também ajuda a empurrar as fezes para fora durante a defecação. O músculo do esfíncter anal interno é totalmente involuntário, o que significa que funciona sem a sua intervenção consciente. Ao esforçar-se conscientemente para eliminar as fezes, você pode interromper a atividade natural do músculo esfíncter anal interno.

Isso não quer dizer que você não deva fazer nenhum esforço ao evacuar. Em torno do seu músculo esfíncter anal interno está o seu externo músculo do esfíncter anal, que está sob controle voluntário quando você pressiona, é o músculo que você está usando para gerar impulso para a defecação. Quando as fezes são saudáveis, você não precisa gerar impulso para evacuar, contraindo o músculo do esfíncter anal externo, mas quando as fezes estão mais duras do que deveriam, pode ser útil contrair conscientemente o músculo do esfíncter anal externo para fazer as coisas em movimento. O segredo é parar de contrair conscientemente e relaxar assim que as fezes começarem a passar, pois isso permite que o músculo do esfíncter anal interno contribua para a expulsão das fezes.

Colocar os pés em cima de um penico ou banquinho agachado para ficar em uma posição semelhante a um agachamento e segurar uma compressa morna ou quente (toalha de mão dobrada funciona bem) em seu esfíncter anal por alguns minutos enquanto nesta posição pode ajudar a ótimo negócio. Seja paciente, relaxe o máximo possível e respire lenta e profundamente, inspirando e expirando.

Com tudo isso dito, se as fezes endurecidas ficarem presas ao sair do esfíncter anal, pode ser útil aplicar um lubrificante natural ao redor do esfíncter. Não é uma coisa glamorosa de se fazer, mas ao longo dos anos, eu realmente tive um punhado de pais usando essa técnica com sucesso para ajudar seus filhos pequenos a passarem fezes duras que estavam firmemente presas no lugar.

Ao usar uma luva descartável, além de lubrificar o esfíncter anal com um lubrificante natural como óleo de coco, também pode ser necessário usar um dedo para remover manualmente pedaços de fezes. Lubrificando generosamente antes de fazer isso, você pode reduzir o risco de criar uma fissura anal.

Esse é um dos poucos motivos pelos quais acho uma boa ideia manter uma caixa de luvas de exame descartáveis ​​por perto. O tipo que mantenho em meu escritório pode ser encontrado aqui:

Quando eu dirigia nosso programa de jejum residencial, às vezes eu precisava desimpactar manualmente as pessoas que estavam gravemente constipadas, já que o jejum prolongado somente com água pode levar ao endurecimento ainda maior das fezes, por isso é sempre melhor tentar evacuar antes embarcar em um longo jejum somente na água. A maioria das pessoas por quem tive que fazer isso sofria de constipação crônica e, geralmente, apresentava enfraquecimento do tônus ​​da musculatura lisa por vários motivos.

A ingestão regular de alimentos altamente processados ​​e refinados - normalmente aqueles feitos com farinha e açúcar - é indiscutivelmente a causa mais comum de constipação crônica.

O esforço regular para tentar forçar as fezes endurecidas invariavelmente leva ao enfraquecimento do tônus ​​do músculo liso na parte inferior do cólon.

E recorrer ao uso regular de enemas costuma ser a etapa final que leva à perda significativa do tônus ​​da musculatura lisa nas regiões anal, retal e do intestino grosso inferior.

A boa notícia é que tenho visto pessoas que dependiam completamente de enemas para que os movimentos intestinais restaurassem a motilidade total. Esse tipo de reversão normalmente não acontece dentro de alguns dias; leva semanas, meses ou às vezes até anos para permitir que os músculos lisos que revestem seu cólon recuperem o tônus ​​ideal, o que requer melhoria no sistema nervoso entérico, uma parte do sistema nervoso autônomo que regula seus movimentos intestinais.

Para obter mais sugestões sobre como ter movimentos intestinais saudáveis ​​e um cólon saudável, sinta-se à vontade para revisar:


O que fazer quando você tiver fezes impactadas

Nunca é um assunto confortável para discutir, mas é bom ter alguma ideia do que tentar se você ou um ente querido tiver fezes endurecidas que não saem por si mesmas.

Em primeiro lugar, é vital lembrar que sempre que você tiver vontade de evacuar, é melhor relaxar em vez de tentar forçar a evacuação com esforço.

O relaxamento consciente é necessário para o funcionamento ideal do músculo esfíncter anal interno, que é um anel de músculo liso que ajuda a manter o esfíncter anal fechado quando você não está evacuando e também ajuda a expulsar as fezes durante a defecação. O músculo do esfíncter anal interno é totalmente involuntário, o que significa que funciona sem a sua intervenção consciente. Ao esforçar-se conscientemente para eliminar as fezes, você pode interromper a atividade natural do músculo esfíncter anal interno.

Isso não quer dizer que você não deva fazer nenhum esforço ao evacuar. Em torno do seu músculo esfíncter anal interno está o seu externo músculo do esfíncter anal, que está sob controle voluntário quando você pressiona, é o músculo que você está usando para gerar impulso para a defecação. Quando as fezes são saudáveis, você não precisa gerar impulso para evacuar, contraindo o músculo do esfíncter anal externo, mas quando as fezes estão mais duras do que deveriam, pode ser útil contrair conscientemente o músculo do esfíncter anal externo para fazer as coisas em movimento. O segredo é parar de contrair conscientemente e relaxar quando as fezes começarem a passar, pois isso permite que o músculo do esfíncter anal interno contribua para a expulsão das fezes.

Ter os pés em cima de um penico ou banquinho agachado para ficar em uma posição semelhante a um agachamento e segurar uma compressa morna ou quente (toalha de mão dobrada funciona bem) em seu esfíncter anal por alguns minutos enquanto nesta posição pode ajudar a ótimo negócio. Seja paciente, relaxe o máximo possível e respire lenta e profundamente, inspirando e expirando.

Com tudo isso dito, se as fezes endurecidas ficarem presas ao sair do esfíncter anal, pode ser útil aplicar um lubrificante natural ao redor do esfíncter. Não é uma coisa glamorosa de se fazer, mas ao longo dos anos, eu realmente tive um punhado de pais usando essa técnica com sucesso para ajudar seus filhos pequenos a passarem fezes duras que estavam firmemente presas no lugar.

Ao usar uma luva descartável, além de lubrificar o esfíncter anal com um lubrificante natural como óleo de coco, também pode ser necessário usar um dedo para remover manualmente pedaços de fezes. Lubrificando generosamente antes de fazer isso, você pode reduzir o risco de criar uma fissura anal.

Esse é um dos poucos motivos pelos quais acho uma boa ideia manter uma caixa de luvas de exame descartáveis ​​por perto. O tipo que mantenho em meu escritório pode ser encontrado aqui:

Quando eu dirigia nosso programa de jejum residencial, às vezes eu precisava desimpactar manualmente as pessoas que estavam gravemente constipadas, já que o jejum prolongado somente com água pode levar ao endurecimento ainda maior das fezes, por isso é sempre melhor tentar evacuar antes embarcar em um longo jejum somente na água. A maioria das pessoas por quem tive que fazer isso sofria de constipação crônica e, geralmente, apresentava enfraquecimento do tônus ​​da musculatura lisa por vários motivos.

A ingestão regular de alimentos altamente processados ​​e refinados - normalmente aqueles feitos com farinha e açúcar - é indiscutivelmente a causa mais comum de constipação crônica.

O esforço regular para tentar forçar as fezes endurecidas invariavelmente leva ao enfraquecimento do tônus ​​do músculo liso na parte inferior do cólon.

E recorrer ao uso regular de enemas costuma ser a etapa final que leva à perda significativa do tônus ​​da musculatura lisa nas regiões anal, retal e do intestino grosso inferior.

A boa notícia é que tenho visto pessoas que dependiam completamente de enemas para que os movimentos intestinais restaurassem a motilidade total. Esse tipo de reversão normalmente não acontece dentro de alguns dias; leva semanas, meses ou às vezes até anos para permitir que os músculos lisos que revestem seu cólon recuperem o tônus ​​ideal, o que requer melhora no sistema nervoso entérico, uma parte do sistema nervoso autônomo que regula seus movimentos intestinais.

Para obter mais sugestões sobre como ter movimentos intestinais saudáveis ​​e um cólon saudável, sinta-se à vontade para revisar:


O que fazer quando você tiver fezes impactadas

Nunca é um assunto confortável para discutir, mas é bom ter alguma ideia do que tentar se você ou um ente querido alguma vez experimentar fezes endurecidas que não saem por si mesmas.

Em primeiro lugar, é vital lembrar que sempre que você tiver vontade de evacuar, é melhor relaxar em vez de tentar forçar a evacuação com esforço.

O relaxamento consciente é necessário para o funcionamento ideal do músculo esfíncter anal interno, que é um anel de músculo liso que ajuda a manter o esfíncter anal fechado quando você não está evacuando e também ajuda a empurrar as fezes para fora durante a defecação. O músculo do esfíncter anal interno é totalmente involuntário, o que significa que funciona sem a sua intervenção consciente. Ao esforçar-se conscientemente para eliminar as fezes, você pode interromper a atividade natural do músculo esfíncter anal interno.

Isso não quer dizer que você não deva fazer nenhum esforço ao evacuar. Em torno do seu músculo esfíncter anal interno está o seu externo músculo do esfíncter anal, que está sob controle voluntário quando você abaixa, é o músculo que você está usando para gerar impulso para a defecação. Quando as fezes são saudáveis, você não precisa gerar impulso para evacuar, contraindo o músculo do esfíncter anal externo, mas quando as fezes estão mais duras do que deveriam, pode ser útil contrair conscientemente o músculo do esfíncter anal externo para fazer as coisas em movimento. O segredo é parar de contrair conscientemente e relaxar assim que as fezes começarem a passar, pois isso permite que o músculo do esfíncter anal interno contribua para a expulsão das fezes.

Colocar os pés em cima de um penico ou banquinho agachado para ficar em uma posição semelhante a um agachamento e segurar uma compressa morna ou quente (toalha de mão dobrada funciona bem) em seu esfíncter anal por alguns minutos enquanto nesta posição pode ajudar a ótimo negócio. Seja paciente, relaxe o máximo possível e respire lenta e profundamente, inspirando e expirando.

Com tudo isso dito, se as fezes endurecidas ficarem presas ao sair do esfíncter anal, pode ser útil aplicar um lubrificante natural ao redor do esfíncter. Não é uma coisa glamorosa de se fazer, mas ao longo dos anos, eu realmente tive um punhado de pais usando essa técnica com sucesso para ajudar seus filhos pequenos a passarem fezes duras que estavam firmemente presas no lugar.

While wearing a disposable glove, beyond lubricating the anal sphincter with a natural lubricant like coconut oil, it might also be necessary to use a finger to manually remove bits of stool. By generously lubricating before you do this, you can reduce risk of creating an anal fissure.

This is one of a few reasons why I think it's a good idea to keep a box of disposable exam gloves around. The kind that I keep in my office can be found here:

Back when I ran our residential fasting program, I would sometimes have to manually disimpact people who were severely constipated, as extended water-only fasting can lead to even further hardening of stools, so it's always best to try to have a solid bowel movement before embarking on a long water-only fast. Most of the people that I had to do this for were sufferers of chronic constipation, and usually had weakened smooth muscle tone for a variety of reasons.

Regular intake of highly processed and refined foods - typically those made with flour and sugar - is arguably the most common cause of chronic constipation.

Regular straining to try to force hardened stool out invariably leads to weakened smooth muscle tone in the lower colon.

And resorting to regular use of enemas is often the final step that leads to significant loss of smooth muscle tone in the anal, rectal, and lower large intestinal regions.

The good news is that I have seen people who were completely dependent on enemas to have bowel movements restore full motility. This kind of reversal doesn't typically happen within a few days it takes weeks, months, or sometimes even years of allowing the smooth muscles that line your colon to recover optimal tone, which requires improvement within your enteric nervous system, a portion of the autonomic nervous system that regulates your bowel movements.

For more suggestions on how to have healthy bowel movements and a healthy colon, please feel free to review::


What to Do When You Have Impacted Stool

Never a comfortable topic to discuss, but it's good to have some idea of what to try if you or a loved one ever experiences hardened stool that won't come out on its own.

First, it's vital to remember that whenever you have the urge to have a bowel movement, it's best that you relax rather than try to force stool out with exertion.

Conscious relaxation is necessary for optimal function of your internal anal sphincter muscle, which is a ring of smooth muscle that helps keep your anal sphincter closed when you're not having a bowel movement, and also helps push stools out during defecation. Your internal anal sphincter muscle is entirely involuntary, meaning that it works without your conscious input. By consciously straining to eliminate stools, you can actually disrupt the natural activity of your internal anal sphincter muscle.

This is not to say that you shouldn't strain at all when having a bowel movement. Surrounding your internal anal sphincter muscle is your externo anal sphincter muscle, which is under voluntary control when you bear down, this is the muscle that you are using to generate momentum for defecation. When stools are healthy, you don't need to generate momentum for a bowel movement by contracting your external anal sphincter muscle, but when stools are harder than they should be, it can be helpful to consciously contract your external anal sphincter muscle to get things moving. The key is to stop consciously contracting and to relax once stools begin to pass, as this allows your internal anal sphincter muscle to contribute to expulsion of feces.

Having your feet up on a squatty potty or stool so that you are in a squat-like position and holding a warm or hot compress (folded up hand towel works well) to your anal sphincter for a few minutes while in this position can help a great deal. Be patient, relax as much as possible, and breathe slowly and deeply, in and out.

With all of that said, if hardened stool is stuck as it is exiting your anal sphincter, it can be helpful to apply a natural lubricant around your sphincter. It isn't a glamorous thing to do, but over the years, I've actually had a handful of parents successfully use this technique to help their young children pass hard stools that were firmly wedged in place.

While wearing a disposable glove, beyond lubricating the anal sphincter with a natural lubricant like coconut oil, it might also be necessary to use a finger to manually remove bits of stool. By generously lubricating before you do this, you can reduce risk of creating an anal fissure.

This is one of a few reasons why I think it's a good idea to keep a box of disposable exam gloves around. The kind that I keep in my office can be found here:

Back when I ran our residential fasting program, I would sometimes have to manually disimpact people who were severely constipated, as extended water-only fasting can lead to even further hardening of stools, so it's always best to try to have a solid bowel movement before embarking on a long water-only fast. Most of the people that I had to do this for were sufferers of chronic constipation, and usually had weakened smooth muscle tone for a variety of reasons.

Regular intake of highly processed and refined foods - typically those made with flour and sugar - is arguably the most common cause of chronic constipation.

Regular straining to try to force hardened stool out invariably leads to weakened smooth muscle tone in the lower colon.

And resorting to regular use of enemas is often the final step that leads to significant loss of smooth muscle tone in the anal, rectal, and lower large intestinal regions.

The good news is that I have seen people who were completely dependent on enemas to have bowel movements restore full motility. This kind of reversal doesn't typically happen within a few days it takes weeks, months, or sometimes even years of allowing the smooth muscles that line your colon to recover optimal tone, which requires improvement within your enteric nervous system, a portion of the autonomic nervous system that regulates your bowel movements.

For more suggestions on how to have healthy bowel movements and a healthy colon, please feel free to review::


What to Do When You Have Impacted Stool

Never a comfortable topic to discuss, but it's good to have some idea of what to try if you or a loved one ever experiences hardened stool that won't come out on its own.

First, it's vital to remember that whenever you have the urge to have a bowel movement, it's best that you relax rather than try to force stool out with exertion.

Conscious relaxation is necessary for optimal function of your internal anal sphincter muscle, which is a ring of smooth muscle that helps keep your anal sphincter closed when you're not having a bowel movement, and also helps push stools out during defecation. Your internal anal sphincter muscle is entirely involuntary, meaning that it works without your conscious input. By consciously straining to eliminate stools, you can actually disrupt the natural activity of your internal anal sphincter muscle.

This is not to say that you shouldn't strain at all when having a bowel movement. Surrounding your internal anal sphincter muscle is your externo anal sphincter muscle, which is under voluntary control when you bear down, this is the muscle that you are using to generate momentum for defecation. When stools are healthy, you don't need to generate momentum for a bowel movement by contracting your external anal sphincter muscle, but when stools are harder than they should be, it can be helpful to consciously contract your external anal sphincter muscle to get things moving. The key is to stop consciously contracting and to relax once stools begin to pass, as this allows your internal anal sphincter muscle to contribute to expulsion of feces.

Having your feet up on a squatty potty or stool so that you are in a squat-like position and holding a warm or hot compress (folded up hand towel works well) to your anal sphincter for a few minutes while in this position can help a great deal. Be patient, relax as much as possible, and breathe slowly and deeply, in and out.

With all of that said, if hardened stool is stuck as it is exiting your anal sphincter, it can be helpful to apply a natural lubricant around your sphincter. It isn't a glamorous thing to do, but over the years, I've actually had a handful of parents successfully use this technique to help their young children pass hard stools that were firmly wedged in place.

While wearing a disposable glove, beyond lubricating the anal sphincter with a natural lubricant like coconut oil, it might also be necessary to use a finger to manually remove bits of stool. By generously lubricating before you do this, you can reduce risk of creating an anal fissure.

This is one of a few reasons why I think it's a good idea to keep a box of disposable exam gloves around. The kind that I keep in my office can be found here:

Back when I ran our residential fasting program, I would sometimes have to manually disimpact people who were severely constipated, as extended water-only fasting can lead to even further hardening of stools, so it's always best to try to have a solid bowel movement before embarking on a long water-only fast. Most of the people that I had to do this for were sufferers of chronic constipation, and usually had weakened smooth muscle tone for a variety of reasons.

Regular intake of highly processed and refined foods - typically those made with flour and sugar - is arguably the most common cause of chronic constipation.

Regular straining to try to force hardened stool out invariably leads to weakened smooth muscle tone in the lower colon.

And resorting to regular use of enemas is often the final step that leads to significant loss of smooth muscle tone in the anal, rectal, and lower large intestinal regions.

The good news is that I have seen people who were completely dependent on enemas to have bowel movements restore full motility. This kind of reversal doesn't typically happen within a few days it takes weeks, months, or sometimes even years of allowing the smooth muscles that line your colon to recover optimal tone, which requires improvement within your enteric nervous system, a portion of the autonomic nervous system that regulates your bowel movements.

For more suggestions on how to have healthy bowel movements and a healthy colon, please feel free to review::


What to Do When You Have Impacted Stool

Never a comfortable topic to discuss, but it's good to have some idea of what to try if you or a loved one ever experiences hardened stool that won't come out on its own.

First, it's vital to remember that whenever you have the urge to have a bowel movement, it's best that you relax rather than try to force stool out with exertion.

Conscious relaxation is necessary for optimal function of your internal anal sphincter muscle, which is a ring of smooth muscle that helps keep your anal sphincter closed when you're not having a bowel movement, and also helps push stools out during defecation. Your internal anal sphincter muscle is entirely involuntary, meaning that it works without your conscious input. By consciously straining to eliminate stools, you can actually disrupt the natural activity of your internal anal sphincter muscle.

This is not to say that you shouldn't strain at all when having a bowel movement. Surrounding your internal anal sphincter muscle is your externo anal sphincter muscle, which is under voluntary control when you bear down, this is the muscle that you are using to generate momentum for defecation. When stools are healthy, you don't need to generate momentum for a bowel movement by contracting your external anal sphincter muscle, but when stools are harder than they should be, it can be helpful to consciously contract your external anal sphincter muscle to get things moving. The key is to stop consciously contracting and to relax once stools begin to pass, as this allows your internal anal sphincter muscle to contribute to expulsion of feces.

Having your feet up on a squatty potty or stool so that you are in a squat-like position and holding a warm or hot compress (folded up hand towel works well) to your anal sphincter for a few minutes while in this position can help a great deal. Be patient, relax as much as possible, and breathe slowly and deeply, in and out.

With all of that said, if hardened stool is stuck as it is exiting your anal sphincter, it can be helpful to apply a natural lubricant around your sphincter. It isn't a glamorous thing to do, but over the years, I've actually had a handful of parents successfully use this technique to help their young children pass hard stools that were firmly wedged in place.

While wearing a disposable glove, beyond lubricating the anal sphincter with a natural lubricant like coconut oil, it might also be necessary to use a finger to manually remove bits of stool. By generously lubricating before you do this, you can reduce risk of creating an anal fissure.

This is one of a few reasons why I think it's a good idea to keep a box of disposable exam gloves around. The kind that I keep in my office can be found here:

Back when I ran our residential fasting program, I would sometimes have to manually disimpact people who were severely constipated, as extended water-only fasting can lead to even further hardening of stools, so it's always best to try to have a solid bowel movement before embarking on a long water-only fast. Most of the people that I had to do this for were sufferers of chronic constipation, and usually had weakened smooth muscle tone for a variety of reasons.

Regular intake of highly processed and refined foods - typically those made with flour and sugar - is arguably the most common cause of chronic constipation.

Regular straining to try to force hardened stool out invariably leads to weakened smooth muscle tone in the lower colon.

And resorting to regular use of enemas is often the final step that leads to significant loss of smooth muscle tone in the anal, rectal, and lower large intestinal regions.

The good news is that I have seen people who were completely dependent on enemas to have bowel movements restore full motility. This kind of reversal doesn't typically happen within a few days it takes weeks, months, or sometimes even years of allowing the smooth muscles that line your colon to recover optimal tone, which requires improvement within your enteric nervous system, a portion of the autonomic nervous system that regulates your bowel movements.

For more suggestions on how to have healthy bowel movements and a healthy colon, please feel free to review::


What to Do When You Have Impacted Stool

Never a comfortable topic to discuss, but it's good to have some idea of what to try if you or a loved one ever experiences hardened stool that won't come out on its own.

First, it's vital to remember that whenever you have the urge to have a bowel movement, it's best that you relax rather than try to force stool out with exertion.

Conscious relaxation is necessary for optimal function of your internal anal sphincter muscle, which is a ring of smooth muscle that helps keep your anal sphincter closed when you're not having a bowel movement, and also helps push stools out during defecation. Your internal anal sphincter muscle is entirely involuntary, meaning that it works without your conscious input. By consciously straining to eliminate stools, you can actually disrupt the natural activity of your internal anal sphincter muscle.

This is not to say that you shouldn't strain at all when having a bowel movement. Surrounding your internal anal sphincter muscle is your externo anal sphincter muscle, which is under voluntary control when you bear down, this is the muscle that you are using to generate momentum for defecation. When stools are healthy, you don't need to generate momentum for a bowel movement by contracting your external anal sphincter muscle, but when stools are harder than they should be, it can be helpful to consciously contract your external anal sphincter muscle to get things moving. The key is to stop consciously contracting and to relax once stools begin to pass, as this allows your internal anal sphincter muscle to contribute to expulsion of feces.

Having your feet up on a squatty potty or stool so that you are in a squat-like position and holding a warm or hot compress (folded up hand towel works well) to your anal sphincter for a few minutes while in this position can help a great deal. Be patient, relax as much as possible, and breathe slowly and deeply, in and out.

With all of that said, if hardened stool is stuck as it is exiting your anal sphincter, it can be helpful to apply a natural lubricant around your sphincter. It isn't a glamorous thing to do, but over the years, I've actually had a handful of parents successfully use this technique to help their young children pass hard stools that were firmly wedged in place.

While wearing a disposable glove, beyond lubricating the anal sphincter with a natural lubricant like coconut oil, it might also be necessary to use a finger to manually remove bits of stool. By generously lubricating before you do this, you can reduce risk of creating an anal fissure.

This is one of a few reasons why I think it's a good idea to keep a box of disposable exam gloves around. The kind that I keep in my office can be found here:

Back when I ran our residential fasting program, I would sometimes have to manually disimpact people who were severely constipated, as extended water-only fasting can lead to even further hardening of stools, so it's always best to try to have a solid bowel movement before embarking on a long water-only fast. Most of the people that I had to do this for were sufferers of chronic constipation, and usually had weakened smooth muscle tone for a variety of reasons.

Regular intake of highly processed and refined foods - typically those made with flour and sugar - is arguably the most common cause of chronic constipation.

Regular straining to try to force hardened stool out invariably leads to weakened smooth muscle tone in the lower colon.

And resorting to regular use of enemas is often the final step that leads to significant loss of smooth muscle tone in the anal, rectal, and lower large intestinal regions.

The good news is that I have seen people who were completely dependent on enemas to have bowel movements restore full motility. This kind of reversal doesn't typically happen within a few days it takes weeks, months, or sometimes even years of allowing the smooth muscles that line your colon to recover optimal tone, which requires improvement within your enteric nervous system, a portion of the autonomic nervous system that regulates your bowel movements.

For more suggestions on how to have healthy bowel movements and a healthy colon, please feel free to review::


What to Do When You Have Impacted Stool

Never a comfortable topic to discuss, but it's good to have some idea of what to try if you or a loved one ever experiences hardened stool that won't come out on its own.

First, it's vital to remember that whenever you have the urge to have a bowel movement, it's best that you relax rather than try to force stool out with exertion.

Conscious relaxation is necessary for optimal function of your internal anal sphincter muscle, which is a ring of smooth muscle that helps keep your anal sphincter closed when you're not having a bowel movement, and also helps push stools out during defecation. Your internal anal sphincter muscle is entirely involuntary, meaning that it works without your conscious input. By consciously straining to eliminate stools, you can actually disrupt the natural activity of your internal anal sphincter muscle.

This is not to say that you shouldn't strain at all when having a bowel movement. Surrounding your internal anal sphincter muscle is your externo anal sphincter muscle, which is under voluntary control when you bear down, this is the muscle that you are using to generate momentum for defecation. When stools are healthy, you don't need to generate momentum for a bowel movement by contracting your external anal sphincter muscle, but when stools are harder than they should be, it can be helpful to consciously contract your external anal sphincter muscle to get things moving. The key is to stop consciously contracting and to relax once stools begin to pass, as this allows your internal anal sphincter muscle to contribute to expulsion of feces.

Having your feet up on a squatty potty or stool so that you are in a squat-like position and holding a warm or hot compress (folded up hand towel works well) to your anal sphincter for a few minutes while in this position can help a great deal. Be patient, relax as much as possible, and breathe slowly and deeply, in and out.

With all of that said, if hardened stool is stuck as it is exiting your anal sphincter, it can be helpful to apply a natural lubricant around your sphincter. It isn't a glamorous thing to do, but over the years, I've actually had a handful of parents successfully use this technique to help their young children pass hard stools that were firmly wedged in place.

While wearing a disposable glove, beyond lubricating the anal sphincter with a natural lubricant like coconut oil, it might also be necessary to use a finger to manually remove bits of stool. By generously lubricating before you do this, you can reduce risk of creating an anal fissure.

This is one of a few reasons why I think it's a good idea to keep a box of disposable exam gloves around. The kind that I keep in my office can be found here:

Back when I ran our residential fasting program, I would sometimes have to manually disimpact people who were severely constipated, as extended water-only fasting can lead to even further hardening of stools, so it's always best to try to have a solid bowel movement before embarking on a long water-only fast. Most of the people that I had to do this for were sufferers of chronic constipation, and usually had weakened smooth muscle tone for a variety of reasons.

Regular intake of highly processed and refined foods - typically those made with flour and sugar - is arguably the most common cause of chronic constipation.

Regular straining to try to force hardened stool out invariably leads to weakened smooth muscle tone in the lower colon.

And resorting to regular use of enemas is often the final step that leads to significant loss of smooth muscle tone in the anal, rectal, and lower large intestinal regions.

The good news is that I have seen people who were completely dependent on enemas to have bowel movements restore full motility. This kind of reversal doesn't typically happen within a few days it takes weeks, months, or sometimes even years of allowing the smooth muscles that line your colon to recover optimal tone, which requires improvement within your enteric nervous system, a portion of the autonomic nervous system that regulates your bowel movements.

For more suggestions on how to have healthy bowel movements and a healthy colon, please feel free to review::


Assista o vídeo: Somente os 4% Mais Atentos Passarão Neste Teste


Comentários:

  1. Shipton

    maravilhosamente, a frase é muito valiosa

  2. Daguenet

    ficar louco !!! Afftaru Zachot!

  3. Terr

    Mais fácil nas curvas!

  4. Nashakar

    Este pensamento muito bom tem que ser propositalmente

  5. Mac Ghille-Dhuinn

    Peço desculpas, mas, na minha opinião, você admite o erro. Escreva para mim em PM, nós lidaremos com isso.

  6. Landen

    Eu acho que você está errado. Tenho certeza. Eu posso defender minha posição.

  7. Haestingas

    Acho que você está cometendo um erro. Vamos discutir isso. Envie-me um e-mail para PM, vamos conversar.



Escreve uma mensagem


Artigo Anterior

Torrada Francesa Clássica

Próximo Artigo

O que está acontecendo em Los Angeles: outubro de 2016